• Oceano de plástico – “Plasticus oceanicae”
  • Praticamente todo o plástico descartado nas últimas décadas continua de alguma forma na natureza. E grande parte desse lixo (dito descartável) volta para nós contaminando os mares e sua cadeia alimentar, inclusive o homem.

    Imagem- Kim Prestom4
    Segundo a WWF e o Greenpeace, fabricou-se, na última década, mais plástico do que em todo o século 20. Das cerca de 300 milhões de toneladas produzidas por ano, metade é descartada após um único uso, mas pode permanecer na natureza por mais de 400 anos.

    Sacos, copos, garrafas e embalagens de plástico descartáveis que usamos no dia-a-dia. Sabe para onde vai tudo isso? Grande parte desse lixo plástico acaba em rios e mares, onde pode afundar e contaminar o fundo dos oceanos ou ficar em suspensão, quebrando-se em pequenas partículas após anos de exposição no ambiente.

    Imagem- Kim Prestom6 Imagem- Kim Prestom7 Imagem- Kim Prestom5

    Misturado ao plâncton, que formam a base da cadeia alimentar marinha, o plástico é ingerido por pequenos animais e contamina a biodiversidade do mar de forma progressiva e cumulativa, colocando em risco também a saúde humana. Afinal, os peixes são fontes de proteínas na dieta de boa parte do mundo.

    De forma humorada e criativa, o fotógrafo Kim Preston registra criaturas marinhas utilizando o material para imitar, com o objetivo de chamar a atenção para o problema que os plásticos representam para os oceanos (imagens acima). O fotógrafo tenta denunciar o surrealismo do local conhecido como a ‘grande mancha de lixo do Pacífico’.

    Imagem- Kim Prestom3

    Segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013.

    Fonte: Ciência Hoje online

  • em Blog
  • Deixe uma resposta


    × 4 = dezesseis