• Árvores urbanas morrem e cupim é culpado
  •  Por Edgar Santa Rosa Esteves

     

    Então a guerra ao cupim está posta e declarada. Esse amaldiçoado inseto que acaba com a arborização urbana, com a madeira dos telhados, dos revestimentos. Descupinizar é a palavra de ordem e da moda. Acaba que qualquer árvore de rua definhando é culpa de cupim e dá-lhe veneno para controlar o diabólico inseto. Quando é para controlar cupim, carrapato, pulga e companhia tudo que é defesa do meio ambiente vai por água abaixo. O importante e fundamental é acabar com os insetos asquerosos.

    Cupim atacando planta ferida pelo revestimento da calçada.

    A verdade pode muito bem ser outra. Das mais de 2,8 mil espécies existentes no mundo, pouquíssimas delas atacam plantas vivas e no Brasil estas espécies são raríssimas. Os cupins, em verdade, são insetos que se alimentam de celulose, na verdade madeira morta. Lógico que a casa construída com madeira está sujeita ao ataque. Algumas prevenções como tratamento da madeira, evitar que as madeiras molhem, etc,  ajudam muito.

    O problema da arborização urbana, no entanto, é outro. O plantio é normalmente realizado sem os cuidados necessários. Em Araraquara, por exemplo, a grande maioria dos ataques de cupins em árvores de ruas acontece em razão dos ferimentos causados pelo concreto existente no entorno da árvore. O ferimento favorece a infecção de fungos e a morte de partes da planta. Ai o cupim, que só sabe fazer isso, aparece para consumir o material morto ou em fase de apodrecimento. Se o urubu consome animais mortos, cupim consome árvores mortas, ou galhos mortos. Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

    Está mais que na hora de prevenir para não contaminar. Plantios mais adequados, com as covas mais largas, são recomendados. Os produtos utilizados no solo contra os cupins são muito persistentes e perigosos, podendo contaminar o lençol freático e, portanto, a água de beber.

    Árvore na natureza sem ferimento e com espaço para desenvolver

    Terça-feira, 28 de agosto de 2012.

  • em Blog
  • Deixe uma resposta


    6 + = dez