• Concreto permeável – é possível
  • O Concreto Permeável auxilia na recuperação da capacidade de infiltração do solo perdida com o avanço das áreas urbanas. Isto é, diminui os riscos de enchentes e recupera áreas degradadas. Permite recarregar os aquíferos subterrâneos e reduz a velocidade do escoamento das águas pluviais. Nas áreas urbanas, promove ganho ambiental e econômico.

    O que é?

    O concreto usado como pavimento permeável é composto por cimento portland, agregado graúdo e pouco ou nenhum agregado miúdo, aditivos e pouca água.
    A combinação desses componentes cria um concreto cuja quantidade de vazios (entre 2 e 8 mm) permite que a água passe com facilidade. A quantidade de vazios pode variar entre 18 e 35%, com uma resistência à compressão que varia entre 2,5 e 28 MPa.
    A quantidade de água que passa por esse concreto também pode variar em função do tamanho do agregado graúdo e da massa específica do concreto, mas geralmente está entre 80 e 730 litros de água/minuto/m².

    zona-urbana-semzona-urbana-com

    Usos

    O Concreto Permeável é aplicado nos Estados Unidos desde 1970 como alternativa de sistemas complexos de drenagem e áreas de retenção de água. As aplicações típicas incluem:

    • Estacionamentos
    • Ruas e acostamentos
    • Calçadas
    • Quadras de tênis
    • Deck de piscinas
    • Áreas de zoológicos e celeiros

    Benefícios

    Esse pavimento é considerado área drenante, e permite uma melhor utilização da área construída em seu terreno.

    - Ambientais
    • Reduz as enxurradas causadas pelas chuvas.
    • Protege riachos e lagos.
    • Restabelece as águas subterrâneas.
    • Permite levar água e oxigênio para as raízes da vegetação.

     

    – Econômicos
    • Elimina ou diminui os sistemas de estancamento de águas de chuva, como piscinões.
    • Permite um aproveitamento mais eficiente dos terrenos.

     

    No entanto, o sistema demanda cuidados de especificação, instalação e manutenção. Por isso, a recomendação é fazer o cálculo para a espessura do projeto baseado em duas premissas: a própria resistência do concreto e a quantidade de chuva, e o cálculo hidrológico, com referência a uma chuva de exceção que aconteça em um intervalo de 10, 25, 50 ou 100 anos. Em São Paulo a normatização para microdrenagem tem como base períodos de retorno de dez anos. Nesse cenário, a construção de um sistema de drenagem fica dentro da margem de segurança. Para saber mais sobre recomendações e base de cálculo, clique aqui.

    Fonte:  Abesc e infraestruturaurbana

    Terça-feira, 11 de agosto de 2015.

     

  • em Blog
  • Deixe uma resposta


    quatro × = 4