• Coió, o falso peixe-voador
  • Conhecido popularmente como peixe-voador, de “asas” grandes e cabeça pesada, o Coió é um de nossos peixes mais curiosos, e a seu respeito são contadas muitas histórias. 

    Tem o nome científico de Dactylopterus volitans. O nome da espécie refere-se à capacidade de voar atribuída ao peixe (volitans = “voador” em latim), totalmente infundada. Acontece que a cabeça do Coió é muito grande e pesada, envolvida por verdadeira carapaça; por outro lado, suas nadadeiras peitorais (parecidas com “asas”) são delgadas, frágeis até, mas muito mais pesadas proporcionalmente do que as dos verdadeiros peixes-voadores. Com tal morfologia, é absolutamente impossível ao Coió saltar fora d’água, quanto mais planar ao vento ou por impulsão própria.

    As nadadeiras ventrais auxiliam na locomoção no fundo do mar e, quando importunado, abre suas peitorais como asas, para amedrontar ou simular maior porte (veja o vídeo abaixo). Ocorre no Mediterrâneo e em todo Atlântico.

     

     

    Vivem em grupos de até 100 indivíduos, percorrendo o fundo de areia em busca de comida. Em tais ocasiões, movem-se sempre em uma mesma direção, em linha ou em arco. Caçam se enterrado na areia e usam os raios anteriores das peitorais que, provavelmente, têm alta sensibilidade táctil. São capazes de produzir sons, um tipo de ronco baixo, notadamente quando em busca de alimento, se excitado ou retirado da água.

    Esta espécie é muito confundida com outro peixe, também com nome popular de coió ou peixe-voador (Exocoetus volitans). Ele habita águas mornas e salgadas de praticamente todo o oceano, nadando sobre a sua superfície, mas não é encontrado no Brasil.  Seu corpo é alongado e mais leve  e suas nadadeiras não são utilizadas na hora em que o peixe está nadando. Elas permanecem dobradas e apenas as caudas são usadas.

     

    Fonte: canalazultv

    Sábado, 29 de dezembro de 2012.

  • em Blog + Você Sabia?
  • Deixe uma resposta


    oito + 6 =