• Aquífero Guarani: uma riqueza escondida
  • A mídia adora o assunto aquífero, principalmente quando se trata do Aquífero Guarani. Os adjetivos superlativos vão desde maior do mundo até inesgotável. A realidade, no entanto, é sempre diferente. Uma busca rápida na internet (wikipedia etc) coloca o Aquífero Guarani como a segunda maior reserva de água doce subterrânea do mundo e determina o Aquífero Alter do Chão como maior do mundo, atualmente.

    Aquífero Aguarani

     @pt.wikipedia.org

    O Aquífero Guarani é realmente grande e importante, mas está longe de ser o maior do mundo. Na Amazônia, já se sabe, há um enorme aquífero (Aquífero Alter do Chão), na Sibéria há outro e por aí afora. Não importa se o Guarani é o maior do mundo, mas importa muito que ele é o maior e  mais importante para os brasileiros que vivem na região centro oeste, sudeste e sul do país. Importa muito que a sua água seja de extrema qualidade. Importa muito que ele é intensamente explorado e de forma inadequada. 

    O coordenador do Laboratório de Recursos Hídricos da Coppe-UFRJ Paulo Canedo cita que “o Aquífero [Guarani] tem uma grande quantidade de água, mas não é essa maravilha toda. Números não significam muito. Ele não é um mar subterrâneo. Apesar de conexo, possui diferentes profundidades. É preciso analisar a viabilidade de uso e a capacidade de proteção do solo”.

    No Brasil, São Paulo é o estado que mais explora águas subterrâneas. De acordo com a Sabesp, 65% da zona urbana do estado depende de alguma forma deste tipo de recurso. Como exemplo maior dessa dependência, Ribeirão Preto-SP é a única cidade de porte médio a ter todo seu consumo suprido pelo Aquífero Guarani.

    Quem é o Guarani

    O termo aqüífero Guarani é uma denominação unificadora de diferentes formações geológicas que foi dada pelo geólogo uruguaio Danilo Anton em homenagem à grande Nação Guarani, que habitava essa região nos primórdios do período colonial. A maior parte (70% ou 840 mil km²) da área ocupada pelo Guarani, cerca de 1,2 milhão de km², está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil.  O restante distribui-se entre o nordeste da Argentina (255 mil km²), nordeste do Uruguai (58.500 km²) e sudeste do Paraguai(58.500 km²). A população atual do domínio de ocorrência do aquífero é estimada em quinze milhões de habitantes.

    @daaeararaquara.com.br

    Sua recarga natural anual (principalmente pelas chuvas) é de 160 km³/ano, sendo que desta, 40 km³/ano constitui o potencial explorável, para que a sustentabilidade do lençol freático fosse mantida. Não há dados de quanto já é consumido. Por isso, ambientalistas preocupam-se com a sustentabilidade do aqüífero e com a soberania em relação a ele, enquanto os recursos já estão sendo utilizados nos quatro países.

    Por ser um aquífero de extensão continental sua dinâmica ainda é pouco conhecida. Mais estudos são necessários para seu entendimento, de forma a possibilitar uma utilização mais racional e o estabelecimento de estratégias de preservação mais eficientes.

    Assista ao video didático sobre o Aquífero Guarani aqui

     

    Fonte: DAAE Araraquara

    Quarta-feira, 25 de Abril de 2012.

  • em Blog
  • Deixe uma resposta


    oito + 9 =