• Água quente congela mais rápido do que água fria
  • Em 1969 um estudante da Tanzânia chamado Erasto Barthlomeo Mpemba estava fazendo sorvete numa aula de culinária e notou que as misturas mais quentes congelavam mais rápido que as mais frias. Resolveu então, perguntar sobre o fenômeno ao professor, que o ridicularizou dizendo: “Tudo que posso dizer é que isso é a física de Mpemba e não a física universal”.

    Inicialmente, houve muita relutância em aceitar o fato, mas o fenômeno foi confirmado e publicado por Mpemba em 1969. Este fenômeno já tinha sido observado por Aristóteles no século IV a.C., em sua obra Meteorológica I, e também por Descartes e Francis Bacon. Em certas condições, a água quente realmente congela antes da mais fria. Hoje, o fenômeno é conhecido “Efeito Mpemba” e existem várias explicações possíveis, mas foi completamente entendido pelos cientistas somente em 2013.

    A resposta a este peculiar fenômeno, que intrigou cientistas de várias gerações, depende da existência de impurezas na água. Os físicos tinham apostado em várias teorias como a evaporação mais rápida reduz o volume da água quente ou que uma camada de gelo isola a água fria. Contudo a resposta era muito difícil de encontrar, porque o efeito não é constante − a água fria também pode congelar rapidamente.

    Em 2013, uma equipe de físicos da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura, liderada por Xi Zhang, encontraram evidências de que são as ligações químicas (entre hidrogênio e oxigênio) que juntas acumulam água e proporcionam o efeito.

     

    Fonte: Ciência Hoje e iflscience.com

    Segunda-feira, 13 de agosto de 2012.

    Atualização: Sábado, 02 de novembro de 2013.

     

     

  • em Blog + Você Sabia?
  • Deixe uma resposta


    seis − 5 =