• A dádiva de Mendoza
  • Mendoza está localizada aos pés da cordilheira dos Andes, próxima ao Chile, e pode ser considerada como um oásis, pois está numa região semi-desértica. Só não é considerada oficialmente um deserto, porque tem água subterrânea, a 60 metros de profundidade. Chuva mesmo, só três vezes por ano e geralmente rápida. A água na cidade é um bem preciosíssimo. Mas ela não cai do céu, cai da montanha.

    Leandro Kibisz/Creative Commons

    O segredo da vida no local está muito bem guardado em uma represa (Reservatório de Potrerillos), a única fonte de água que abastece Mendoza, um tesouro que permitiu a construção de um grande oásis. A origem da água que chega ao reservatório vem dos rios Mendoza e Tunuyán, procedente do degelo dos Andes. E são necessárias pelo menos duas grandes nevadas, do contrário, os rios secam.

    Na região tem petróleo, mas foi o milagre de transformar água em vinho que fez a fama de Mendoza. No local, estão plantados 70% dos vinhedos da Argentina. Sem irrigação, isso seria impossível. Este sistema, já utilizado pelo povo huarpe no século XV na construção de extensos canais para as plantações de milho, também passa por toda a cidade de Mendoza para aumentar a umidade do ar. Trata-se de canaletas que margeiam a maioria das estradas, ruas e avenidas com água proveniente desses rios. São as acéquias, que dão de beber à vegetação e ao povo. O uso da água é definido por lei o sistema é controlado por comportas que são abertas durante o verão em dias muito secos.

    PabloBD/Creative Commons Bodegas Goyenechea (Roberto Triguez/Creative Commons)

    “Como Mendoza é um deserto, temos regras precisas para cuidar da água. A Constituição cria um departamento geral de irrigação, que regula e ordena quanto e como podemos usar a água: para irrigação, para lazer, inclusive a água potável…”, esclarece a secretária da fazenda e turismo da cidade de Mendoza, Sandra Mónica Tenerini.

    No dia 11 de dezembro, as Nações Unidas comemoram o Dia Internacional das Montanhas. Cerca de 12% da população mundial vivem em áreas montanhosas. Assim como em Mendoza, as  montanhas são consideradas as principais fontes de abastecimento de água do planeta. Metade dos habitantes do mundo consome o recurso que vem das geleiras.

    A FAO lembrou que a conservação de montanhas é uma das medidas acordadas pela Rio+20 (Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável), em junho, no Rio de Janeiro. As Nações Unidas querem ainda engajar os jovens em ações de preservação.

     

    Terça-feira, 18 de dezembro de 2012.

     

  • em Blog + Você Sabia?
  • Deixe uma resposta


    − cinco = 1